sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Malaise

Quem era eu, na tarde? Vinha uma voz crescendo lenta e transfigurada, sem um rosto na neblina. Os avós há muito tempo mortos, e a minha casa tão distante quanto um sonho de criança. Eu brincava com uma folha quase seca. Eu brincava com a réstia de sol dentro da folha.

Quantas réstias até que secassem as folhas todas, o quintal e o menino?

Nenhum comentário: