sábado, 27 de março de 2010

Dois Lados


Uma estrada pálida, luminárias dos dois lados. Quem eu vou ser lá no final, transfigurado ou despido ou privado de mim? Já outro ou o mesmo ou ainda o anterior menino que perdeu o caminho entre uma réstia de sol e uma sombra no quintal? Quem eu encontro além da claridade lunada feita presença, carregando o peso de uma chave na minha mão que é uma chave que me deram e não sei ao certo se foi Deus ou o homem? É uma chave que abre os olhos cegos. Pontiaguda como uma lança. É para eu testar em corações alheios. Que corações, se ao final todos eles se queimaram em pira lenta, ritual, e exalavam um cheiro mestiço: vida e morte entrelaçadas, se devorando como duas serpentes invejosas.

Trilha: The Ocean Floor- Electric President

Um comentário:

whoneedsadrink disse...

"Que corações, se ao final todos eles se queimaram em pira lenta, ritual, e exalavam um cheiro mestiço: vida e morte entrelaçadas, se devorando como duas serpentes invejosas"

Casa comigo. Que lindo! Estou cada vez mais fascinada pelas suas entrelinhas. E essa do E.P. combinou como se tivesse sido feita para o Dois Lados. continue sempre e sempre,
iza.