segunda-feira, 5 de abril de 2010

Lovesick



E eu, sem saber ao certo de que forma de arte me aproprio, para lançar-te aos olhos uma aura insondável de mistério e utopias, atravesso a sala, passo firme e calculado, e me debruço às janelas embaçadas de luz.
Composições de Vermeer preenchendo algum espaço, e afastando poeiras na tua memória esparsa.
É isso?
Ou talvez devêssemos apagar paredes e teto, para incorporar às paisagens róseas as flutuações de nossos corpos uma vez em puro estado de graça?
Um Chagall que se anuncia muito vivo entre minhas relíquias, e que brilha esquecido em algum canto sujo e úmido das tuas lembranças.
Ainda posso, sem qualquer pretensão de ser-te importante, rasgar umas peles desnecessárias, umas cartas retardatárias, para compor colagens empapadas de sangue e tinta.
Minha letra sobre sépia, minha pele com resquícios de sol, tuas coisas preferidas e tuas coisas abominadas. O bem vindo contraste entre orgulho e humildade.
Mas não, não me coloco mais ao alcance de mãos ávidas por corações que batem. Há restos bem conservados nos mercados, por um preço justo, se queres apenas mitigação de uma fome que no fundo se sabe insaciável.
Deixa para os vivos o coração dos vivos.
O ato de ceifar os que respiram não é lenitivo algum para tuas próprias dores. Deixa os assassinatos para os que sabem fazer doer sem pressa alguma. Somente os que se demoram sobre a anatomia do espírito descobrem a existência miraculosa revelada em uma tela.
Recusaste musas, agora acenda uma vela na tua memória, para enxergar tarde demais como era bom o meu carinho.
Pinta qualquer coisa grandiosa e ao mesmo tempo ínfima, e para fazer valer um tempo de inspiração que já está perdido,
Recorda, pensa, reflete.
Tranqüilidade e trabalho.
Encontra, por fim, tonalidades que lembrem a cor do meu último abraço.

Imagem: Brothers, Jan Saudek
Trilha: Only Yesterday- Taken By Trees

Um comentário:

Dani disse...

Sabe, o melhor de tudo é saber que mesmo sem ter um objeto de desejo que sirva como inspiração, e mesmo sem haver alguém digno de suas palavras(em termos de dedicação)você continua abençoado pelo dom e o talento. Tem que ser muy hombre pra ser o motivo destas letras celestiais e falta hombre...Possa crer.