quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Elemental

Para T.


O menino tem dias que sonha com a chuva,
mas ele gosta mesmo é da seca.
Compreensível: o que ele ama é um vislumbrar eterno,
é a iminência das coisas.
A morte, a carta, a água, o filho.
O há de chegar ainda: é esse o seu desejo.
Esse menino abre a janela de noite,
Vestido apenas de poesia e estrela.
Namora a lua mas também tem caso com o sol.
"o meu cabelo já é de prata?"
-a velhice é promessa de luz invadindo o corpo, que é a casa.
O menino está em fase de transição, dizem os astros.
Mas é desde que nasceu, arrisco.
Estar em eterna transição é transar um tântrico com o tempo.
Isso ele tem feito.
Esse menino fica de pau duro até por causa do vento.

Imagem: The Boy- Jan Saudek, 1999

3 comentários:

Liz Marinho disse...

Toda vez que preciso de inspiração seu blog me serve de refúgio. Encantador.

beto,,, disse...

nossa léo, só digo coisas como "bonito demais". mas de novo: bonito demais!

Thiago Pinheiro disse...

Cada vez que leio esse poema, vou entendo melhor de te me entender assim.
Lisonjas à parte e felicidades tantas, agradecido fico de tanta coisa bunita que você pode escrever e notar ans pessoas...e além disso, é uma honra poder ficar de pau duro até com o vento.
Sem humor e verdade essa vida seria uma bosta tronxa.
Te amo